logo ella.png
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • LinkedIn Ella App
  • Youtube Ella App

Central de atendimento

google play.png
app store.png

© 2018 Ella App de Beleza Tecnologia - Todos os direitos reservados

PROMOÇÃO DA SAÚDE

Eu gosto de viver. Já me senti ferozmente, desesperadamente, agudamente feliz, dilacerada pelo sofrimento, mas através de tudo ainda sei, com absoluta certeza, que estar viva é sensacional.” - Agatha Christie

O ELLA entende que para falar de temas de muita responsabilidade deveríamos convidar uma autoridade no assunto, foi então convidamos uma profissional que está há oito anos à frente da Coordenação de Políticas de Atenção Integral à Saúde da Mulher da Secretaria Municipal da Saúde de Gravataí a enfermeira Luciane da Silva - Mestre em Saúde Coletiva, Especialista em Saúde da Família e Comunidade. Luciane assina o texto a seguir:

 

O Sistema Único de Saúde de Gravataí cuida da mulher em todas as fases da vida

 

O Sistema Único de Saúde (SUS) estabelece uma série de direitos relacionados à saúde da mulher através de ações educativas, de vacinas, do planejamento reprodutivo a disponibilização dos métodos contraceptivos; do pré-natal, parto ao puerpério; do incentivo a hábitos saudáveis aos exames preventivos; dos cuidados da saúde da adolescente aos cuidados à saúde da mulher idosa, assim como acesso aos exames de mamografia, Papanicolau, entre outros.

Muitos dos atendimentos começam logo no nascimento da mulher e prosseguem a partir da imunização. O SUS, por meio do Programa Nacional de Imunização, oferta gratuitamente todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O Calendário Nacional de Vacinação contempla não só as crianças, mas também adolescentes, adultos, idosos, gestantes e povos indígenas. Ao todo, são 19 vacinas para mais de 20 doenças, cuja proteção inicia ainda nos recém-nascidos, podendo se estender por toda a vida. São vacinas contra doenças, como o câncer de colo de útero (HPV) para adolescentes e a DTPA para gestantes.

A maior parte dos atendimentos, na rede pública de Gravataí, inicia na Atenção Básica, nas Unidades Básicas de Saúde e ou Unidades de Saúde da Família. Na consulta, se necessário, profissional de saúde solicita exames laboratoriais e de imagem, conforme protocolos do Ministério da Saúde. Após avaliação dos resultados, a mulher pode ou não ser encaminhada para atendimento especializado na rede pública. Os encaminhamentos também podem ser medicamentosos e/ou voltados à promoção da saúde, como orientações de reeducação alimentar, incentivo à prática de atividades físicas...

O cuidado com a promoção à saúde em todas as fases da vida é essencial na prevenção das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNTS), como diabetes, hipertensão e obesidade. Segundo levantamento Saúde Brasil 2018, do Ministério da Saúde, entre 2010 e 2016, caiu 11% o índice de óbitos por Acidente Vascular Cerebral e 6,2% por doenças cardíacas, nas mulheres entre 30 e 69 anos. Contudo, apesar da queda, as duas doenças continuam sendo as que mais matam a população feminina nesta mesma faixa etária.

A ocorrência das doenças crônicas não transmissíveis é muito influenciada pelos estilos e condições de vida. O tabagismo é um dos principais fatores de risco dessas doenças. As mulheres que querem parar de fumar podem obter gratuitamente, medicamentos como adesivos, pastilhas, gomas de mascar (terapia de reposição de nicotina) e bupropiona, basta procurar a unidade de saúde mais próxima da sua residência.

Os serviços de saúde municipal também acolhem mulheres vítimas de violência, sejam elas crianças, adolescentes, adultas ou idosas. Nestes casos, elas devem procurar as unidades de saúde para receber atendimento humanizado e encaminhamento adequado. Nesses espaços, as mulheres têm acesso a orientações sobre profilaxia pós-exposição, a pílula do dia seguinte e, em caso de gestação indesejada, encaminhamento para hospital de referência para realizar o aborto legal. O atendimento acontece sem exigência do boletim de ocorrência.

Toda mulher tem direito ao planejamento familiar, tendo acesso a informações sobre métodos e técnicas para prevenção da gravidez. O município oferece para o fortalecimento dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres o preservativo feminino e masculino, pílula combinada, anticoncepcional injetável (mensal e trimestral), diafragma, anticoncepção de emergência (pílula do dia seguinte), minipílula e DIU de cobre, métodos seguros, reversíveis e disponíveis nas UBS. Já no caso das gestantes, a realização do pré-natal, incluindo acompanhamento durante toda a gravidez e puerpério, também é garantido à toda munícipe de Gravataí. Durante a gestação devem ser realizados exames, consultas e orientações na Unidade Básica de Saúde ou na Unidade de Saúde da Família e, em casos de gravidez de risco, em maternidades ou centros de referência. O acompanhamento é importante para detectar doenças que possam afetar o desenvolvimento do bebê, a saúde da mulher e também para orientar a mãe sobre o aleitamento materno, vacinas e cuidados com a criança.

As gestantes também têm direito a um acompanhante de sua indicação durante o período de trabalho de parto, parto e pós-parto. A atenção integral e humanizada ao recém-nascido prevê o contato imediato do bebê com o abdômen ou tórax da mãe (de acordo com a vontade dela) e o estímulo à amamentação ainda na primeira hora de vida. Nesse contexto, é possível destacar movimentos para mudança do modelo de atenção ao parto e nascimento, incluindo a mulher nas decisões sobre seu corpo, discriminando as intervenções desnecessárias e a violência obstétrica.

Nas Unidades de Saúde, toda mulher idosa tem direito ao acesso e à avaliação integral da sua saúde, com atendimento multiprofissional e olhar multidimensional (clínico, psicossocial e funcional) para elaboração do seu plano de cuidado. O objetivo é promover a saúde e a prevenção de doenças e agravos, proporcionando a esse grupo um envelhecimento com saúde e qualidade de vida.

Ainda na Atenção Básica também é possível ter acesso a testes rápidos para Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), como sífilis, HIV/AIDS e hepatite C, além de orientações sobre sexualidade.

Luciane da Silva

COREN/RS105758

Enfermeira, Mestre em Saúde Coletiva, Especialista em Saúde da Família e Comunidade  

Coordenadora Política de Atenção Integral à Saúde da Mulher/Rede Cegonha  

Secretaria Municipal de Saúde/Gravataí/RS

OUTUBRO ROSA

MÊS DE PREVENÇÃO AO CÂNCER DE MAMA

O mês de Outubro já é conhecido mundialmente como um mês marcado por ações afirmativas relacionadas à prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. O movimento, conhecido como Outubro Rosa, é celebrado anualmente desde os anos 90. O objetivo da campanha é compartilhar informações sobre o câncer de mama e, mais recentemente, câncer do colo do útero, promovendo a conscientização sobre as doenças, proporcionando maior acesso aos serviços de diagnóstico e contribuindo para a redução da mortalidade.

O QUE É O OUTUBRO ROSA E QUAL O MOTIVO DA COR ROSA?

O Outubro Rosa é o mês de conscientização e combate do câncer de mama. O nome Outubro Rosa remete à cor do laço que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas, e instituições públicas. Era outubro de 1983 quando uma corrida de cinco quilômetros pelas ruas de Dallas (EUA) atraiu 800 pessoas para arrecadar fundos e chamar atenção para o câncer de mama. A promessa de levar mais mulheres a conhecer e combater a doença foi de Nancy Brinker, que havia visto, três anos antes, a irmã Susan morrer aos 36 anos. Desde então, a Fundação Susan G. Komen For the Cure tem inspirado a mobilização em diversos países. Acessórios e laços cor de rosa viraram símbolo da campanha pelo mundo.

CO-FOUNDER ELLA APP / COORDENAÇÃO SOCIAL

SELMA FRAGA